fbpx

Revenda de Semijoias. Na Contramão da Crise

Revenda de Semijoias. Na Contramão da Crise

1861 1043 Metaus

Desde 2014, estamos em recessão econômica.
Recuperar-se deste acúmulo de perdas não é tarefa fácil, principalmente quando se trata de desemprego. Mas afinal, qual é o perfil do desempregado hoje no Brasil?

Segundo a Revista Exame, uma pesquisa realizada pelo SPC _ Serviço de Proteção ao Crédito, e pela CNDL _ Conferência Nacional de Dirigentes Lojistas, o quadro é esse:

  • 59% dos desempregados são do sexo feminino
  • 54% tem escolaridade até o ensino médio
  • 95% pertencem às classes C.D e E
  • 58% tem filhos menor de idade

Portanto:  Mulher, 34 anos (em média), ensino médio completo, mãe.
Esse é o perfil do desempregado no Brasil.

Além disso, o tempo médio de busca por emprego, era de 14 meses em 2017, com alta de 2 meses em relação a 2016.

Na contramão da crise, empresas que oferecem a conhecida “renda-extra”, não podem reclamar, pois são elas que, além de oferecer excelentes oportunidades, têm revelado grandes empreendedores.

O Grupo Metaus, no mercado desde 1983, é um desses exemplos. Atuante no ramo de atacado de Semijoias, joias em prata e relógios, destaca que o perfil de suas revendedoras é exatamente este: Mulheres, mães, com idade média de 35 anos.

A revenda de Semijoias, tem feito dessas mulheres não apenas donas de seus próprios negócios, mas mulheres realizadas acima de tudo, independentes financeiramente e muito mais participativa na vida dos filhos.

O que mais atrai neste ramo, segundo a empresa, é a alta lucratividade em comparação com o baixo investimento. Hoje é possível por exemplo iniciar o negócio com apenas R$ 800,00, e em muitos produtos a margem de lucro pode ultrapassar os 300%.

Junta-se a isso:  Ter horários flexíveis, podendo conciliar compromissos da casa, dos filhos, e adequar sua agenda de acordo com sua necessidade e o perfil de cada cliente. Além disso, poder ajudar no orçamento familiar e conquistar muita coisa dependendo apenas de sua dedicação. Sem contar que é um mercado diretamente ligado à moda, portanto está sempre se inovando, em constante crescimento.

Segundo a analista de marketing da empresa, Kathia Carmona, o maior compromisso do Grupo vai além de vender Semijoias, o objetivo principal é oferecer a oportunidade de negócio, e fazer a ponte entre a Revendedora e o sucesso, e isso é muito gratificante, existe um cuidado, e muito respeito em relação a isso, pois a empresa com 35 anos, ainda mantém clientes desde a inauguração, e essas  RevMetaus (forma carinhosa de descrever as revendedoras) são mulheres incríveis, extremamente inspiradoras.

Hoje com Revendedoras em todo o Brasil, a empresa conta com três marcas próprias, Londrina Folheados, Prata Nobre e Mulher Semijoias, e de três lojas: Londrina, Maringá e em São Paulo.

Quando nos perguntam sobre o resultado de nosso trabalho, passamos a palavra para as RevMetaus, que fazem tudo isso acontecer, diz Kathia, e por isso escolhemos três mulheres com este perfil, para mostrar o quanto elas representam pra nós.

 

Cristiane Moraes, 38 anos _ Cliente da loja Londrina.
“Comecei a vender pra ajudar meu esposo no orçamento da casa, minha sogra já era cliente da Metaus e me incentivou a começar. Pra mim era a opção ideal, pois poderia cuidar dos filhos e trabalhar nos horários livres. Hoje minha renda representa 60% da renda familiar e eu me sinto muito realizada profissionalmente, muito feliz”.

 

Monica Nogueira, 32 anos _ Cliente da loja Maringá
“Eu busquei o negocio como uma renda extra, e hoje só faço isso. Estou no mercado há 4 anos e meu faturamento já representa 90% da renda familiar. Já conquistei muita coisa neste período mas nada foi mais especial pra mim do que poder estar com a minha filha, isso não tem preço!”

 

 

Andréa Sanches, 40 anos _ Cliente da loja São Paulo
“Eu vendia roupas femininas, mas não conseguia ajudar no orçamento da casa, foi quando me indicaram uma consignação de Semijoias, mas tive muitos problemas com recebimentos e isso afetava meu lucro, então como amei o mercado das joias, resolvi ser independente e encontrei a Metaus, me apaixonei! Hoje, além de poder ter um bom orçamento, sou extremamente realizada como esposa, pois posso ajudar meu esposo; Como mãe, pois além de poder estar com eles, posso investir muito mais na educação deles; Como empresária, pois tenho muitos planos pra minha loja e showroom, e como mulher, pois compro o que eu quero, nada paga a realização pessoal”.

 

A valorização das Revendedoras pela empresa não é à toa, pois muitas começam o negócio e desistem, é necessário muita dedicação, compromisso e responsabilidade, não é uma brincadeira, é um negócio, uma empresa, exige cuidado, disciplina e determinação, o sucesso vem, mas é preciso trabalhar.

As previsões para 2018 e 2019 são ainda melhores, pois é cada vez mais nítido no brasileiro essa vontade de crescer, de ser independente e gratificado pela seu empenho, uma questão de justiça, afinal o trabalho dignifica o homem.

 

Leave a Reply